Integração Social

Aqui em Innsbruck mora muita gente de outros países. Apesar de a cidade ser pequena (reza a lenda que sao 130.000 hab., sendo que quase 30.000 sao estudantes), voce escuta diversos idiomas nas ruas, onibus ou qualquer lugar que esteja.
Eu tenho a tendencia de me relacionar melhor com estrangeiros (apesar de já estar por aqui há quase 4 anos agora). Talvez porque nós nos entendemos melhor, sofremos juntos com a dificuldade no idioma, e podemos trocar experiencias de vida. Tenho amigos de diversas partes e gosto muito desse mundo multi-culti.
No meu ex-trabalho, conheci um guri da Nicarágua. Ele era super querido (digo era porque ele voltou pra Nicarágua) e de vez em quando íamos almocar juntos na padaria perto do trabalho. E por algum motivo, eu sempre confundia Nicarágua com Panamá. Uma das nossas conversas:
Eu – No Brasil nós normalmente almocamos comida de verdade, tipo feijao e arroz e tal. O que voces comem no Panamá?

Ele – No Panamá eu nao sei, mas na Nicarágua… :p
E isso se repetiu algumas vezes, até eu aprender da onde ele era.

Aqui na Uni eu conheci uma menina do Equador. Fazemos uma matéria juntas e temos vários trabalhinhos pra fazer e resolvemos ser uma dupla. (go, South America!)
Ela sempre me conta das coisas do Equador e tals, e ontem numa conversa eu fui fazer uma pergunta e…:
Eu – Como é que voces fazem isso na Venezuela?
Ela – ???
Eu – Desculpa, no Equador. :p

Nao entendo de onde vem essa minha mania de trocar o nome dos países. Que saco viu?
Sei que as pessoas nao gostam, porque eu também odiaria que me perguntassem sobre a Argentina ou Paraguai…

Beijos pra quem le!

PS. No primeiro dia que conhecia a equatoriana, fomos almocar juntas na padaria aqui perto da uni e ela pendurou a mochila na cadeira. Como a cadeira era leve e a mochila era pesada, a cadeira virou pra trás. Eu já estava comendo e vi a cena. Ela foi se sentar mas deu de bunda no chao. Eu queria ter ajudado, mas nao deu tempo de avisar ja que até eu engolir ela já tinha caído. Foi muito engracado! Mas como a gente faz pra rir de alguem que voce acabou de conhecer? Eu nao tive coragem, apesar de ela ter dado muita risada dela mesma. Depois em casa contando pro Thomas, saíram até lágrimas dos meus olhos de tanto que gargalhei. (Só pra constar, ela nao se machucou, ta.)

PS 2. Eu nunca fiz aulas de espanhol, mas entendo bastante coisa (assim como todos voces, acredito eu). Entao eu converso com os latino-americanos em portunhol. É uma graca. 😉 Com espanhóis isso nao dá certo…

Recommended Posts
Showing 2 comments
  • Carolina

    E bastante interessante isso, mas no geral os estrangeiros no geral se socializam com outros estrangeiros, nem que sejam estrangeiros de 2a geracao, ja nascidos no pais, mas filhos de pais imigrantes. Acredito que nem so pelo idioma, mas pelas similaridades desta nova vida no exterior. Morei muitos anos nos Eua e minha melhores aminhas com excecao de uma era todas estrangeiras, na Europa onde morei anteriormente mesma coisa e agora na Austria tb so me aproximo de estrangeiros. bj Carolina

  • Lúcia Helena

    Essa é a minha filha. Sempre fazendo novos amigos.
    Quando você era pequena, uma vez perguntei a uma psicóloga, porque você era tão desprendida de tudo. Ia passear com todos que lhe convidavam, ia dormir na casa das amiguinhas e nunca chorava…
    Ela me disse que você era tão segura do seu lugar na nossa casa, que ia com a certeza de que quando voltasse seu lugar estaria lá. Era seu e pronto.
    Daí compreendi que não poderia lhe segurar. Tinha que deixar voar mesmo.
    Beijos minha filha amada.

Leave a Comment