Litoral Sul de Santa Catarina

Primeiramente eu queria falar que eu não abandonei o blog de novo (esse blog já entrou por algumas fases de recessão, mas essa foi só uma fase de férias mesmo).

Eu e o Thomas fomos para o Brasil visitar a família por uns diazinhos em fevereiro, e sabe como é, preparação pra viagem, depois que volta tem a recuperação da viagem… E foi esse o motivo da ausência. Mas voltei, galera! 😉

Bem, apesar do nome do blog se referir ao Tirol, eu com frequência às vezes dou uma escapadinha no tema e mudo de lugar. E o post de hoje vai ser um deles  (sei que já viram no título, mas queria explicar 😉 ).

Dia 11.02 é nosso aniversário de casamento e desde que casamos (em 2012) essa foi a primeira vez que passamos essa data junto. Apesar de estarmos no Brasil (onde se encontram minha família e amigos com quem eu queria estar o tempo todo), resolvemos que iríamos passar esse dia a sós para comemorar. Então fomos para o litoral sul de Santa Catarina, conhecer lugares novos.

Chegamos na Guarda do Embaú no dia 10 de noite e a primeira impressão foi ótima. Nossa pousada (Pousada da Marta – super recomendo) era bem no centro, no meio da muvuca mesmo. Fomos muito bem recebidos pelo dono da pousada e já fomos dar uma voltinha por ali e olhar as lojinhas e barzinhos. O centro é super pequeno, mas muito legal. Umas lojinhas super diferentes e barzinhos bem tranquilos, com música ao vivo*. Paramos num barzinho bem na entrada pra praia, e ficamos lá ouvindo uma música e tomando uma caipirinha**.

Já ouvi falar que a Guarda bomba muito na época de temporada, então por termos ido durante a semana, o movimento já não era tão intenso quanto deve ser nos finais de semana. Também vimos várias placas, painéis, etc. em memória ao Ricardinho, surfista brasileiro que morreu umas semanas antes.

No dia seguinte à nossa chegada, acordamos cedo para fazer a trilha para a prainha e para a pedra do urubu. Como estávamos com o fuso horário ainda em ajustamento, acordar cedo foi bem fácil, então saímos da pousada pelas 8:00. As trilhas são bem tranquilas, mas eu fiquei com um pouco de medo de encontrar alguma cobra. No começo eu não tava com medo, mas encontramos um senhor nativo pelo caminho e eu perguntei pra ele se tinha cobra, e ele respondeu que sim. 😐 Por sorte, não encontramos nenhuma (ufa!).

A vista da pedra do urubu é muito linda. Paramos lá para apreciar a paisagem, recarregar as energias e tirar umas fotos. De lá, seguimos para a prainha. A vista da chegada da prainha, vindo pela pedra do urubu também é maravilhosa. A prainha é uma praia que só se tem acesso a pé, então é bem deserta. Por termos saído cedo de casa, levamos sorte de sermos dos primeiros a chegar lá. Não entramos no mar porque estava cheio de águas vivas (vimos várias mortas na areia da praia e ficamos com medo de arriscar), mas a água era linda, limpinha e geladinha.

Na volta encontramos com o pessoal que estava, naquela hora, ainda começando a fazer as trilhas. Voltamos por fora (contornando a pedra) e a vista também era linda de morrer. Chegamos na pousada pelo meio dia para fazer o check out e fomos almoçar. Comemos num restaurante ótimo, e como era o nosso dia, nos demos ao luxo de comer bem.

Almocinho na Guarda

11042150_896034683751165_384679288_n

Depois do almoço seguimos viagem, sentido sul. Fomos ainda para a praia do rosa e para Laguna naquele dia. No dia seguinte visitamos o farol de Santa Marta, e no caminho de volta ao norte, paramos na cascata encantada, em Garopaba.

Apesar da praia do rosa ser muito bonita, achei muito trampo chegar lá de carro só para passar o dia. A estrada era muito ruim, e da BR até a praia é bem longinho. Adoramos o farol de Santa Marta e as praias ao redor. Infelizmente, como não passamos muito tempo por lá, acabamos não tomando banho de mar em nenhuma, mas curti muito o lugar.

Dunas - Farol de Santa Marta

DSC04371

Já a cascata encantada foi um achado. Eu tinha lido na internet que lá perto de Garopaba tem umas cachoeiras, mas estávamos na verdade procurando uma com outro nome. No fim, como não achamos a outra, fomos nessa mesmo. Foi ótimo! O lugar é todo preparado para receber turistas, e a taxa que cobram para entrada no local é de 15 reais, o que achei bem de boa, pois a infraestrutura do lugar é compatível com o preço. Passamos a tarde toda lá, nadando nas piscinas naturais formadas pela cachoeira, com água super limpinha e de uma temperatura deliciosa para um dia de verão. Fora isso, observar as dezenas de borboletas gigantes que tem por lá foi outro ponto alto do passeio.

Foram dois dias bem intensos, mas super bem aproveitados. Para quem mora em SC e ainda não conhece essa região fica a dica: conheça! É lindo demais! E claro, os dias com a família e amigos foram ótimos também! Pena que foi tão pouco tempo e acaba não dando tempo de visitar todo mundo que tava na lista… Mas ano que vem tem mais! 😉

Beijos da Mari

 

* Aqui na Áustria não tem essa de música ao vivo em lugar nenhum, a não ser em baile ou restaurante típico, mas aí estamos falando de música tradicional.

** Para nós, tomar caipirinha é algo raro, já que aqui na Áustria custa uma fortuna e é ruim ainda por cima.

Recommended Posts
Showing 4 comments
  • Mariana Braga

    Prezada Mariana, boa tarde!!

    Tive o prazer de passar seis meses morando em Innsbruck e foi uma experiência maravilhosa! QUando fui eu já sabia um pouco de alemão, mas me deparei com o alemão austríaco e com o dialeto e…adorei!! Gostaria muito de continuar a estudar o alemão austríaco (o dialeto ainda não), mas infelizmente só encontro aqui pessoas que falam a variante padrão do alemão da Alemanha, então é um pouco complicado. Você saberia me indicar onde eu poderia aprender mais? Pode até ser sozinha mesmo, se você conhecer algum livro que possa me ajudar.

    Abraços

    Mariana

  • Isabela

    Olá… eu gostaria muito de entrar em contato ctg… confesso que li boa parte do seu blog !! KKKK
    Bom eu moro atualmente na Ucrânia e estou começando a cursar meu mestrado aqui.. Porém minha família vai para a Áustria e tenho muitas dúvidas a respeito… pq a idéia era ir pra Áustria para estudar !!…. Bom sou engenheira eletricista de formação .. e gostaria de saber como funciona a questão de estudar ai , trabalho para estrangeiros enfim…. sei q ai é um lugar maravilhoso para se viver… Mas para deixar minha vida aqui eu teria que ter meios de ficar na Áustria inclusive se é fácil me aceitarem na universidade para o mestrado .. enfim… Aguardo retorno !!!

  • Mari

    Oi Mariana!
    Você conhece o canal de tv Servus TV?
    Lá eles falam com dialeto, mas um dialeto “entendível”, digamos assim.
    Acho que seria um bom jeito de continuares em contato com o alemao-austríaco.
    Também tem o canal ORF, que é o principal canal aqui da Áustria.
    Jornais e outros tipos de programa sao disponibilizados para quem quiser assistir online.
    Outra coisa sao os seriados austríacos. Daí vai do gosto da pessoa tb, eu nao gosto… hehe. Mas tem gente que gosta. 🙂
    Abracos!
    Mari

  • Mari

    Oi Isabela!
    Para entrar no mestrado aqui você deveria entrar em contato com alguma universidade da sua preferência para ver quais documentos eles pedem e se pedem proficiência em alemao. Se o mestrado for em alemao, provavelmente exigem proficiência… Como você é formada, seu diploma deve passar por uma análise para ser aceito aqui.
    Para trabalhar, tudo vai depender do visto que tiveres e da área em que quiseres trabalhar. Como falei, também depende da língua, inglês e alemao. Aqui nem todo mundo consegue emprego sabendo apenas o inglês.
    Boa sorte pra você!!!
    Abracos,
    Mari

Leave a Comment